sábado, 3 de janeiro de 2009

Festival Independente Quebramar 2008, Macapá -AP

Vale falar sobre esse evento que rolou nos dias 5 e 6 de dezembro do ano passado, afinil um monte de gente daqui estava lá, mostrando à que foi. Mas ninguém melhor que alguém dos bastidores pra nos contar tudo o que aconteceu lá e dá um pouquinho de inveja ao povo do outro lado do rio, não é mesmo?


Festival Quebramar 2008 – Amapá entra de vez no circuito!!!

Por Marinho Pereira de Oliveirabaixista da stereovitrola e um dos organizadores do evento.


Começando com algumas horas de atraso por conta da montagem do palco principal, o Festival Quebramar, realizado em Macapá, capital do Estado do Amapá, colheu bons frutos, não por conta de pessoas de outros estados que vieram fazer a cobertura (vídeo, escrita, fotográfica), mas também pelas ótimas bandas (tanto locais quando de outros estados) que fizeram parte do seu cast.
Em dois dias de festival o resultado foi altamente positivo, alguns problemas de sintonia com a segurança do campus da UNIFAP (passaram por cima de uma ordem escrita do reitor, que liberava os portões da intituição até 2 horas da manhã) ocasionou com a não entrada de dezenas de pessoas que queriam sacar o festival, e cancelou o restante das apresentações da noite (Samsara-maya, Marthirium, Godzilla), mas tudo bem, no segundo dia não aconteceu esse tipo de stress.
Agora vamos falar de Música (yeeaahhhh)!
Primeiro dia de Festival, vamos falar um pouco das bandas que (na minha opinião) se destacaram bastante. Os novatos amapaenses da banda Relles mandaram ver com seu grunge, botando fogo no campus, um power trio que lembra o Nirvana mostrou as suas composições em grande estilo, no início estavam escalados pra tocar no palco laboratório, mas com a desistência de umas das bandas que viriam de fora, foram promovidos ao palco principal...ponto pra organização.
A banda Kletrus, de Roraima fez um show poderoso, destaque para a guitarrista Ellen Carmaine que deixou os marmanjos de plantão de queixos caídos com tanta técnica e feeling...como disse um jornalista presente... “mulher e White metal combinam mesmo...”
Os veteranos da banda amapaense Dezoito 21 (possuem exatos 12 anos de banda, um recorde para os padrões amapaenses) fizeram um super show, rock progressivo de qualidade misturando seus trabalhos antigos com algumas ótimas novidades, em 2009 eles finalmente entrarão em estúdio pra deixar a coisa ainda mais consistente. Vamos aguardar!!!!
Ok ok... Roni Moraes...guardem este nome, com suas belas canções (rock, reggae e funk, tudo bem regionalizado) com ótimas letras fez a sensação da primeira noite, embalando cada pessoa presente (inclusive este que vos escreve) com uma sonoridade poderosa e atraente, escudado por Pepeu Ramos (baixo) Ivan (bateria) e Otto Ramos (teclado) ele fez a alegria da massa.
Segundo dia: a ótima 12 Voltz mostrou que mesmo tocando pra um público pequeno (sete da noite ainda tinha pouca gente vendo os shows), mesmo assim, banda comandada por Diego Moura tocou algumas das belas canções de seu primeiro CD “Teletransporte Sensorial” e também tocou coisas novas de seu futuro trabalho que deve sair em 2009. Destaque para o baixista Gabriel, monstruosamente bom!!! Estão de parabéns esses bons rapazes!!!
O Clube da Varguarda Celestial (que segundo um famoso jornalista paraense presente no festival) atravessou o rio pra tocar no quebramar, e chegou pra dar ao festival aquela pitada cafajeste que ele merecia, suas canções rock’n’roll despretensiosas contagiaram os presentes.
Poderoso mesmo foi o hardcore da amapaense SPS 12 que tocou os seus hits (que não são poucos) e fizeram toda a gurizada presente bater cabeça e “pogar” como loucos cada canção da banda, difícil encontrar algo errado nos show dos caras por que são impecáveis em cima do palco.

Aeroplano. Festival Quebramar 2008
Na seqüência os caras legais da Aeroplano fizeram um dos melhores shows do festival, pra alegria dos roqueiros de plantão, quanto pra mulherada presente (que inveja) ótimo show, ainda não compreendo como uma banda tão boa fica de fora de duas edições do Festival Se Rasgum... por favor morem em Macapá!!!! O Jolly Joker é uma mistura de ótimos músicos, canções ultra-poderosas e muito, muito carisma, mais uma vez a molecada presente bateu cabeça do inicio ao fim (e querem os caras pra 2ª edição do festival em 2009).


stereovitrola. Festival Quebramar 2008.

Sou suspeito pra falar desta banda, mas vamos lá, em seguida sobe ao palco outra Banda amapaense – stereovitrola (por favor com o “s” minúsculo mesmo), que deixou de lado hit´s como Oh! Valéria e Benjamim (do EP “cada molécula é um ser” de 2006) e tocou as novas canções de seu novo albúm que saí no início de 2009. Destaque pro Dj Matrix que joga River Ride durante a canção “Biscicleta” (para usar aqueles sons quando o aviãozinho abastece ou dispara mísseis... quem já teve um Atari sabe do que estou falando) e para o baixo distocido em “Canção para Syd Barret” (aquele).


Turbo. Festival Quebramar 2008.
Aí a coisa começou a pegar fogo!!! Sobe ao palco os paraenses da Turbo (essa dobradinha Pará-Amapá deu o que falar) e pareciam que não tocavam há séculos!!! De “garoto 90” à “fator Yoko” a galera pirou de verdade, Camillo, Wilson e Felipe conseguiram novos fãs depois desta apresentação. Destaque pras palavras de um maluco presente: “não sabia que só três caras poderiam fazer tudo isso...” bem... agora ele sabe!!!
Lá vem os psicodélicos da Mini-Box Lunar, mostraram que a participação na III edição do Festival Se Rasgum – PA fez muito bem a todos eles, apesar de cansados (todos os membros da banda estavam na organização do Festival Quebramar), fizeram um dos mais belos shows do festival pra alegria dos fãs presentes, como diria o baixista Sady Pimenta “marchinha pra quem quer marchinha, folkinho pra quem gosta de folkinho e rockinho pra quem quer rockinho”... com essa divisão todos ficaram contentes!!!
Já que fã é fã e vice versa, eu não me contive e assisti ao início do show dos alagoanos do Mopho, bem perto dos caras (no palco mesmo). Uma vez eu ganhei do Otto um CD com algumas músicas do Mopho pra ouvirmos no meu carro, e no show dos caras eu me sentia realmente dirigindo (rsrs), quando tocaram “A Geladeira” tive que sair do palco e correr em direção aos meus amigos pra cantar junto!!! Foi o melhor show do festival e com certeza o que mais emocionou a galera (era uma banda que já estava nos planos do Coletivo Palafita a muito tempo).

Macaco Bong. Festival Quebramar 2008.
O Jogo já estava ganho!!! Mesmo assim pra fechar com chave de ouro sobe ao palco o power trio Macaco Bong com o seu intrumental envenenado!!! Sublime foi pouco pra o que os caras fazem no palco. Um showsaço, coeso, cheio, poderoso!!! Vibrações a mil com as canções do novo trampo dos caras. (Jimmy Hendrix está feliz!!!)
Missão cumprida, nos resta trabalhar pra que o sucesso do festival se reflita em nossa emergente cena rock, os primeiros passos já foram dados, nos resta fazer com que os outros possam vir em seguida. Agradecimentos ao Edivaldo “Azul”(esse é brother mesmo), Caco Ishak (o jornalista mais psicodélico que já conheci), Nicolau (valeu mesmo chefe!!!)
Trabalho feito, daqui a um ano eu escrevo outras coisas pra vocês!

3 comentários:

ishak disse...

god bless aberdeen.

Otto Ramos disse...

Mt bom Marinho!!! palmas pra vc "Palafiteiro"!!! Palmas pro blog tb!

Marinho disse...

obrigado pessoal, vão desculpando os erros, mas não tive tempo de fazer a correção.
abraços e até o Grito Rock 2009!!!